blog

blog

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Banda de música pode acabar

Assaré A Banda de Música Manoel de Benta, a mais tradicional e antiga deste Município do Cariri cearense, berço natal do poeta popular Antônio Gonçalves da Silva, mais conhecido como Patativa do Assaré, corre o risco de acabar, conforme afirmam os integrantes do grupo.
Fundada há 15 anos, a banda, composta por 27 músicos e um maestro, deverá sofrer reformulação nos próximos dias. Segundo um integrante da banda, que pede para não ter sua identidade revelada, "por medo de represália", o prefeito Evanderto Almeida "ordenou que só poderão fazer parte da banda pessoas entre 16 e 20 anos".
Risco grande
Para o músico, caso a medida seja realmente posta em prática, o "risco de a banda acabar é grande". "Dos 27 músicos, poucos estão dentro dessa faixa etária, e estes são jovens, ainda em processo de aprendizado", acrescenta. Conforme avalia outro integrante, que também optou pela não divulgação de seu nome, "para que uma pessoa integre a banda, há todo um processo, que passa por aulas práticas e teóricas, não é da noite para o dia que a cidade vai conseguir quase 20 pessoas, dentro dessa faixa de idade, para dar continuidade à banda".
Destaque
"A banda Manoel de Benta foi fundada em 2001, pelo Padre Joaquim Ivo e, de lá para cá, ganhou destaque na cultura popular de Assaré. Além das várias apresentações realizadas anualmente, o grupo também atua no lado social e educativo, pois ensinamos aos jovens a tocar diversos instrumentos, por exemplo. Será um prejuízo cultural muito significativo para o Município", pondera o integrante.
O comunicado, segundo os membros do grupo, foi deito pelo próprio prefeito, em reunião realizada na semana passada, na Câmara Municipal. "Ele primeiro solicitou a devolução de todos os instrumentos e móveis da nossa sede, justificando que seria para tombamento de patrimônio. Até aí, tudo certo.
Depois, ele reuniu todos nós e disse que só iria aceitar integrantes com idade entre 16 e 20 anos. Ele olhou para nós e disse que não queria os músicos caindo em cima dos instrumentos, como se fôssemos descartáveis. Foi uma fala forte, além de desrespeitosa para conosco que há mais de uma década nos dedicamos à banda", critica o instrumentalista.
A reportagem tentou contato, por telefone, com o prefeito Evanderto Almeida, no entanto, não obteve êxito. "O prefeito está em viagem e não sabemos a data de retorno. Só quem pode se manifestar é ele. O secretário de cultura não está autorizado a falar sobre o assunto", informou a Comunicação da Prefeitura Municipal de Assaré.

Nenhum comentário:

Postar um comentário