RÁDIO AMBRÓSIO PUBLICIDADES

blog

blog

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Morrem 30 toneladas de peixe em Lavras

Lavras da Mangabeira. Mais de 30 toneladas de peixe morreram por baixa de oxigenação na água do Açude Rosário, na zona rural deste Município. As quase 90 mil tilápias que eram criadas em gaiolas foram retiradas dos tanques na quarta-feira (31) e enterradas próximo à margem do reservatório. Segundo o Kleber Correia, gerente regional do escritório da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará (Ematerce) em Lavras da Mangabeira, o prejuízo estimado é de R$ 200 mil.
A mortandade atingiu 17 famílias de piscicultores, que formam uma associação comunitária. Ao todo 35 gaiolas em quatro lotes foram atingidas. "Só não morreram os alevinos de até 15 dias", frisou Correia. O clima na comunidade é de tristeza e preocupação entre os piscicultores, mediante o prejuízo e a perda de receita mensal.
O açude acumulava 11%, mas teve recarga e está com 40%. "Pode ter ocorrido uma inversão térmica, comum nessa época do ano, associada à queda de oxigenação da água por causa do acúmulo de matéria orgânica", disse Correia. A Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) realizou testes na água e constatou a baixa oxigenação.
"Essa foi a primeira vez que morreram peixe aqui no Rosário em grande quantidade", contou o piscicultor Cícero José Machado, da associação comunitária. "Enterramos todo o pescado e agora vamos unir forças, apoio do governo para recomeçar".
Tecnologia
Esse é mais um caso de mortandade que atinge criatórios de tilápia nos açudes do Ceará. Outros ocorreram no Orós, Castanhão e em outros reservatórios, mostrando que há necessidade de se implantar tecnologias de aeração das gaiolas, medição do nível de oxigenação da água. A Associação dos Piscicultores do Rosário foi beneficiada com um projeto São José III, que deve liberar cerca de R$ 800 mil para aquisição de kit tecnológico com medidor de temperatura e oxigenação da água e aquisição de aeradores e de novas gaiolas, maiores, para dar mais espaço para o pescado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário