blog

blog

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Aproximadamente 15 mil moradores ficaram sem água

d
O Residencial Nova Caiçara abriga cerca de 15 mil moradores, distribuídos em 3.364 apartamentos ( Fotos: Marcelino Júnior )
Sobral. A dona de casa Lucineuda de Souza, moradora do Residencial Nova Caiçara, na periferia de Sobral, não sabe o que fazer para ter água nas torneiras de casa. Desde a última sexta-feira (28), o abastecimento foi interrompido, prejudicando a todos no complexo residencial, que atende cerca de 15 mil moradores, distribuídos em 3.364 apartamentos. As moradias foram construídas pelo Programa Nacional de Habitação Urbana, do governo federal, em parceria com o Município.
Lucineide de Souza fez parte do segundo grupo de famílias a se mudar, em março de 2016. Em cerca de um ano, os problemas com abastecimento de água começaram. "Vez ou outra faltava água, mas com o tempo, isso passou a ser mais comum. Já tivemos períodos de quase um mês sem água", disse.
Em outro bloco de apartamentos, o barbeiro Francisco Anderson Florêncio, que mora no quarto andar de seu prédio, também reclama da falta de água. O problema é que mesmo chegando, a água não tem força suficiente para alcançar os andares superiores, o que tem gerado prejuízos para o profissional. "Eu tenho dispensado clientes por conta da falta de água em casa. Já trabalho mais com o corte, evitando fazer outros procedimentos, como pintura, luzes ou lavagem, porque água mesmo, só no borrifador. Mesmo assim, eu chego a pagar entre R$ 35 e R$ 40 de conta, mesmo sem ter água no salão", reclama.
Rompimento
Indignados, alguns moradores danificaram parte dos canos das caixas d'água, responsáveis pela distribuição, para tentar conseguir encher vasilhames e baldes, o que até ocorreu, mas por pouco tempo. Logo, a água cessou de escorrer e o povo voltou à estaca zero.
O abastecimento é realizado pelo Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE), que, na terça-feira (2), por meio de nota, informou que o desabastecimento ocorreu por conta de rompimentos detectados, no dia 29 de julho, na adutora responsável por levar água para os reservatórios que fazem a cobertura, não apenas do Residencial Nova Caiçara, mas também dos bairros Renato Parente e Cidade José Euclides I e II, que passaram pelo mesmo problema, no último fim de semana, e seguem com o lento restabelecimento do fornecimento de água.
Sistema
A água potável de Sobral, relacionada ao fornecimento das moradias na Margem Direita do Rio Acaraú, partindo do Centro da Cidade, alcançando alguns bairros mais distantes, entre eles, a região onde se encontra o Residencial Nova Caiçara, tem cobertura de três Estações de Tratamento de Água (ETA), com atendimento por meio de adutoras, sendo que, numa delas, houve o rompimento dos canos.
De acordo com informações do SAAE, geralmente, quando ocorre esse tipo de problema, o conserto é realizado no mesmo dia; nesse caso, o dano ocorreu na madrugada do sábado (29), sendo o reparo iniciado, às 7h do mesmo dia. Houve a necessidade de fabricar uma peça danificada, sendo substituída, na segunda-feira (31).
A empresa fez o isolamento do local e interrompeu o fornecimento para impedir o desperdício. Ainda por meio de nota, o SAAE informou que, "a distribuição de água voltou gradativamente, estando em andamento o completo equilíbrio do sistema, no caso específico do Residencial Nova Caiçara, nas áreas mais elevadas".
Consultadas pela reportagem ontem, as fontes residentes no Residencial Nova Caiçara confirmaram que o problema de falta d'água ainda persistia.
Protagonista   
'Aqui nós estamos sem ter a quem recorrer'
"Tenho problema de depressão alta, e não tenho condição de buscar água com o balde onde os canos foram abertos. Para isso, pago, em média, R$ 5, para alguém fazer esse serviço. Moro com minha filha adolescente e uma irmã, adulta, que é deficiente. No quarto andar, não tem chegado uma gota de água para nada. Aqui não sabemos mais a quem recorrer para resolver esse problema, que vez ou outra se repete"
Raimunda Tomaz
Dona de casa

Nenhum comentário:

Postar um comentário